NATUREZA EM TRANSFORMAÇÃO

DESCOBRE-A NA TUA REGIÃO

O Desafio

És: Um pouco cientista? Um pouco artista?

Sabes: Identificar espécies e habitats naturais? Explicar a interdependência entre a natureza e o Homem?

Consegues: Fazê-lo com exemplos recolhidos na tua terra? Em apenas 2 minutos?

 

Desafio aceite…. Projeto

O teu vídeo será divulgado nesta página. Partilha-o e consegue o maior número de votos!

Os mais populares passam à final do passatempo e os autores irão defender o seu vídeo no evento final.

Bom trabalho e boa sorte!

 

Como descobrir, valorizar, proteger o teu território?

Fase 1: Na sala de aula com o teu professor/ sozinho ou em grupo com recurso ao elearning, na área Pensas que Sabes deste site

Fase 2: No campo, com professores, associações locais, membros da comunidade, vizinhos, família

Fase 3: Partilhar conhecimentos e promover desenvolvimento sustentável

 

 

 

 Bloco de notas. Sobre o Baixo Sabor.

 

I. Património

 

O Aproveitamento Hidroelétrico do Baixo Sabor (AHBS) está localizado no último troço do rio Sabor, um dos muitos afluentes da margem direita do rio Douro, que nasce ainda em Espanha, mas que logo entra em Portugal pelo Parque Natural de Montesinho e que faz todo restante trajeto, até à foz, no distrito de Bragança.

O AHBS é constituído por duas barragens que criam duas albufeiras contíguas: a barragem principal situada a 12,3 km da foz do rio Sabor, que cria uma albufeira estendida ao longo de 60 km e a barragem de jusante (contra-embalse), localizada a 3 km da foz do rio Sabor, cuja albufeira inunda todo o vale fluvial entre as duas barragens, e são quatro os concelhos que estão diretamente afetados per estas albufeiras (Alfândega da Fé, Mogadouro Macedo de Cavaleiros, Torre de Moncorvo).

Situado em plena Rede Natura 2000 (RN2000), no Sítio de Importância Comunitária (SIC) e Zona de Proteção Especial (ZPE) dos Rios Sabor e Maçãs, o AHBS criou impactes com efeitos diretos e indiretos nas espécies e habitats protegidos por estas Diretivas Comunitárias. A construção e exploração de um aproveitamento hidroelétrico de grandes dimensões acarretam sempre profundas modificações nos ecossistemas fluviais.

Para proteger este valioso património natural, nasceram os Programas de Conservação da flora e habitats e da fauna e o projeto “Junto à Terra”, suportados numa na estratégia que procura mitigar os potenciais impactes na ambição de conseguir ganhos globais positivos na biodiversidade e nas comunidades locais. Estamos a falar de programas de conservação que se desdobraram em 48 ações, a desenvolver em 9 concelhos, numa área mais próxima (Alfândega da Fé, Mogadouro Macedo de Cavaleiros, Torre de Moncorvo) e numa mais alargada (Freixo de Espada à Cinta, Bragança, Vila Flor, Vimioso e Miranda do Douro).

 

 

Para mais informações

Cegonha Preta

A cegonha-preta é uma espécie rara em Portugal. Na atualidade estima-se que existam apenas 100 casais no nosso território, tendo o estatuto de conservação “Vulnerável”.

Águia Real

A águia-real é uma das maiores e emblemáticas aves de rapina do continente Europeu. Em Portugal, esta espécie tem uma distribuição muito fragmentada e estima-se que existam cerca de 60 casais, pelo que o seu estatuto de conservação é “Criticamente em Perigo”.

Britango

O britango é uma ave migratória e de hábitos necrófagos. Esta espécie desempenha um papel ecológico fundamental na Natureza, consumindo cadáveres em decomposição que de outra forma constituiriam um foco de risco para a restante fauna do seu ecossistema. Em Portugal tem o estatuto de conservação “Em Perigo”, uma vez que existem apenas cerca de 83 casais desta espécie.

Lobo Ibérico

O lobo-ibérico, outrora comum e distribuído por todo o território nacional, conta apenas com cerca de três centenas de indivíduos, cujos territórios se sobrepõem à zona Norte e Centro de Portugal. A espécie tem o estatuto de conservação “Em Perigo” e enfrenta diversas ameaças como o furtivismo e a fragmentação do seu habitat.

Morcego de ferradura mediterrânico

O morcego-de-ferradura mediterrânico é um mamífero com o elevado estatuto de conservação “Criticamente em Perigo”. Esta espécie de morcego caverní cola abriga-se sobretudo em minas e grutas, alimentando-se principalmente de borboletas nocturnas e outros insectos que caça em zonas muito arborizadas, como bosques de folhosas e galerias ripícolas.

 

 

 II. Ações de Conservação EDP

 

a) Recuperação Ribeira da Vilariça

b) Recuperação habitats de ribeiras afluentes rio Sabor

c) Valorização do corredor ripícola no Médio e Alto Sabor e rio Maçãs

d) Programa de Proteção e Valorização de Habitats Prioritários

e) Recuperação e criação de abrigos e habitats para quirópteros

f) Programa de Conservação da Lontra

g) Programa de Conservação da Toupeira de Água

h) Programa de Proteção e Valorização do Lobo Ibérico

i) Programa de Proteção e Valorização da Avifauna Rupícola

j) Plano Geral de Proteção e Valorização de Répteis, Anfíbios e Invertebrados

k) Centro de Interpretação Ambiental e Recuperação Animal (CIARA)

 

 

Saiba mais

Fechar

  

Vencedores da edição do Junto à Terra 2017/2018

 8º ano

1º Lugar

Vídeo: Desertificação e biodiversidade

Agrupamento Escolar de Alfândega da Fé

Alunos: André Matias, Júlio Vieira, Ricardo Canteiro


2º Lugar

Vídeo: Burro

Agrupamento Escolar de Torre de Moncorvo

Alunos: Daniela Rainho, Diogo Santos, Gabriela Seromenho, Sandra Rego

3º Lugar

Vídeo: Projeto Junto à Terra

Agrupamento Escolar de Mogadouro

Alunos: Inês Lopes, Leonor Dias, Rafael Neves, Teresa Fernandes, Tiago Fernandes

 

 

 9º ano

1º Lugar

Vídeo: As abelhas

Agrupamento Escolar de Torre de Moncorvo

Alunos: Ana Castro, Diana Ferreira, Lara Macedo, Leonor Almeida, Margarida Pereira

2º Lugar

Vídeo: Pequeno Agricultor

Agrupamento Escolar de Macedo de Cavaleiros

Alunos: Henrique Carvalho, Jeremy Ohrnberger, João Mendonça, Paulo Santos, Tiago Cabeça

3º Lugar

Vídeo: 2 minutos de biodiversidade

Agrupamento Escolar de Mogadouro

Alunos:Bárbara Rocha, Carolina Mendes, Guilherme Conde, Mariana Xavier, Rita Lopes

 

 

Parceiros