NATUREZA EM TRANSFORMAÇÃO

DESCOBRE-A NA TUA REGIÃO

E-LEARNING

APRENDE A IMPORTÂNCIA DA BIODIVERSIDADE 

.1

O QUE ESTÁ A ACONTECER À BIODIVERSIDADE E À HUMANIDADE?

.2

COMO UMA CRISE DE BIODIVERSIDADE AFECTA A VIDA HUMANA?

.3

POR QUE ESTAMOSA PERDER BIODIVERSIDADE?

.4

O QUE FAZER PELA BIODIVERSIDADE?

.1

O QUE ESTÁ A ACONTECER À BIODIVERSIDADE E À HUMANIDADE?

E-LEARNING - MÓDULO 01

1.1

INICIAR

1.2

APROFUNDAR

1.3

CONSOLIDAR

.2

COMO UMA CRISE DE BIODIVERSIDADE AFECTA A VIDA HUMANA?

E-LEARNING - MÓDULO 02

2.1

INICIAR

2.2

APROFUNDAR

2.3

CONSOLIDAR

.3

PORQUE ESTAMOS A PERDER BIODIVERSIDADE?

E-LEARNING - MÓDULO 03

3.1

INICIAR

3.2

APROFUNDAR

3.3

CONSOLIDAR

.4

O QUE FAZER PELA BIODIVERSIDADE?

E-LEARNING - MÓDULO 04

4.1

INICIAR

4.2

APROFUNDAR

4.3

CONSOLIDAR

1.1 INICIAR

Picture

Há cada vez mais espécies ameaçadas

A destruição da biodiversidade do planeta é conhecida mas, com a divulgação do último levantamento sobre as espécies ameaçadas, verificou-se que o caso é ainda mais grave do que se pensava. Desde o lince ibérico ao magnífico albatroz, milhares de animais e plantas estão seriamente ameaçados de extinção.

Ana Fernandes 30/09/2000

20 Set 2000
Picture

Planeta tem mais de doze mil espécies ameaçadas de extinção

Existem actualmente 12.259 espécies de plantas e animais ameaçadas de extinção, segundo a mais recente edição da Lista Vermelha da UICN – União Internacional para a Conservação da Natureza -, baseada no trabalho de sete mil cientistas, divulgada hoje.

18/11/2003

18 Nov 2003
Picture

Congresso da UICN na Tailândia: Planeta tem mais de 15.500 espécies ameaçadas de extinção

A exploração da vida selvagem e a destruição do habitat ameaçam extinguir, pelo menos, 15.589 espécies de plantas e animais, a menos que sejam tomadas medidas de emergência para garantir a sua sobrevivência, alertaram hoje vários especialistas no congresso da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), na Tailândia.

AP e AFP 17/11/2004

17 Nov 2004
Picture

Planeta tem 17 mil espécies de animais e plantas ameaçadas de extinção

O planeta tem cerca de 17 mil espécies de animais e plantas ameaçadas de extinção, revelou hoje a UICN (União Mundial para a Conservação da Natureza), através da sua Lista Vermelha. Nos últimos 500 anos já se extinguiram 869 espécies.

REUTERS e PÚBLICO 02/07/2009

18 Nov 2003
Picture

Ameaça à biodiversidade põe humanidade em risco, alerta relatório da IUCN

A temida extinção em massa da vida selvagem também ameaça bilhões de humanos que dependem deles como alimento e sustento, segundo um novo relatório sobre a perda de espécies publicado esta terça-feira durante a conferência Rio+20.

20/06/2012

20 Jun 2012
Picture

Mais de 22 mil espécies em todo o mundo em risco de desaparecer

O atum vermelho do Pacífico e um tipo de camaleão gigante integram a Lista Vermelha das Espécies Ameaçadas. Documento indica que Portugal é o quarto país da Europa com mais espécies em risco de extinção

Renata Silva 19/11/2014

19 Nov 2014
Picture

"É o futuro da humanidade que está em jogo", alerta Al Gore

Rio de Janeiro — Há menos de um mês para a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP 20) a ser realizada em dezembro em Lima, no Peru, o prêmio Nobel e ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, fez o alerta: “Estamos em um ‘turning point’, é o futuro da humanidade que está em jogo, há tempo para o desespero e temos que acelerar as mudanças em meio à crise climática”.

Fabíola Ortiz 06/11/2014

16 Nov 2014
Picture

Estudo avisa que nova fase de extinção põe em risco a humanidade

Um estudo concluiu que a Terra está a entrar numa nova fase de extinção. Três universidades norte-americanas lideraram a investigação, cujos resultados mostram que a espécie humana pode ser uma das que correm maior risco de se perderem. Desflorestação e alterações climáticas são apontadas como as principais ameaças.

Renata Silva 19/11/2014

2015
Picture

"Planeta tem quase 23 mil espécies de animais e plantas em risco de extinção

RIO— A União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) divulgou nesta terça-feira que existem 22.784 espécies de plantas e animais em risco de extinção. Segundo a organização, espécies como o leão, caranguejo das cavernas e o leão-marinho da Nova Zelândia estão entre as que correm perigo de desaparecer.

23/06/2015

23 Jun 2015
Picture

UNESCO: ‘Foram necessários bilhões de anos para que se criasse a nossa biosfera’

Marcando o Dia Internacional da Diversidade Biológica (22 de maio), agência da ONU pediu esforços para cumprir a Agenda 2030 da ONU e para descobrirmos formas de usar os recursos do planeta de forma sustentável.

20/05/2016

20 Mai 2016
Picture

Portugal, um deserto em 2100?

Em Dezembro do ano passado, firmou-se em Paris um ambicioso acordo em que representantes de 195 países se comprometeram a um esforço colectivo para conter o aquecimento global a um aumento de 1,5ºC em relação ao período pré-industrial. Cumprir o objectivo seria, obviamente, uma boa notícia para o planeta. Cumpri-la será particularmente importante

01/11/2016

16 Nov 2014

A RETER

O Planeta está numa fase acelerada de extinções de espécies que põe em risco a humanidade.

2.1 INICIAR

Picture

Produção de medicamentos depende da biodiversidade

Se se mantiver o actual ritmo de extinção das espécies, a Humanidade perde um medicamento importante em cada dois anos. Isto sabendo-se que apenas se conhecem as potencialidades farmacêuticas de 1 por cento das 250 mil plantas tropicais existentes na Terra, alerta o Centro de Monitorização da Conservação do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA), que lançou, na quinta-feira passada, o primeiro atlas mundial da biodiversidade.

Ana Fernandes 04/08/2002

2002
Picture

Produção de medicamentos depende da biodiversidade

Se se mantiver o actual ritmo de extinção das espécies, a Humanidade perde um medicamento importante em cada dois anos. Isto sabendo-se que apenas se conhecem as potencialidades farmacêuticas de 1 por cento das 250 mil plantas tropicais existentes na Terra, alerta o Centro de Monitorização da Conservação do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA), que lançou, na quinta-feira passada, o primeiro atlas mundial da biodiversidade.

Ana Fernandes 04/08/2002

2002
Movie

Perda da biodiversidade aumento riscos de doenças infecciosas, revela estudo

Um estudo da Bard College divulgado pela revista Nature na quarta-feira, 1º de dezembro, revelou o que muitos moradores do campo já sabem há gerações: a perda das espécies em um ambiente pode aumentar propagação e incidência de infecções na região, incluindo as doenças que afetam os seres humanos.

03/12/2010

2010
Picture

Perda de biodiversidade já ameaça economia, diz ONU

A destruição de ecossistemas da Terra deve começar a afetar economias de vários países nos próximos anos, de acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado nesta segunda-feira.

10/05/2010

2010
Location

FAO alerta para efeitos de perda da biodiversidade na segurança alimentar

Preservar e fomentar a biodiversidade agrícola como forma de garantir a segurança alimentar mundial. Esse foi o pedido feito pela Organização Mundial para a Agricultura e Alimentação (FAO) para toda a comunidade mundial. Segundo um relatório divulgado pela organização nesta terça-feira, 26 de outubro, a perda da biodiversidade "terá grande impacto na capacidade da humanidade se alimentar no futuro".

28/10/2010

2010
Movie

ONU alerta: abelhas estão sumindo e a humanidade está em risco

O físico alemão Albert Einstein, famoso por sua teoria da relatividade, já havia anunciado, no início do século passado, que se as abelhas desaparecessem da face da Terra, a humanidade também seria extinta. Até então, isso não era visto como uma "verdade absoluta". Porém, nesta sexta, dia 26 de fevereiro, na cidade de Kuala Lumpur, na Malásia, a ONU divulgou um relatório técnico mostrando que a população de várias espécies de abelhas polinizadoras está sendo rapidamente reduzida ou mesmo extinta.

João Paulo Martins 26/02/2016

2016
Location

Perda de biodiversidade ameaça ecossistemas do planeta, diz estudo

A dimensão da perda de biodiversidade no mundo todo ameaça o funcionamento dos ecossistemas da Terra e inclusive a sobrevivência dos seres humanos, segundo um estudo publicado na quinta-feira (14) na revista científica americana "Science".Em 58% da superfície terrestre, onde vive 71% da população mundial, "o nível de perda de biodiversidade é substancial o suficiente para questionar a capacidade dos ecossistemas de suportar as sociedades humanas", alerta o estudo.

AFP 14/07/2016

2016
Movie

Estudo avisa que nova fase de extinção põe em risco a humanidade

Um estudo concluiu que a Terra está a entrar numa nova fase de extinção. Três universidades norte-americanas lideraram a investigação, cujos resultados mostram que a espécie humana pode ser uma das que correm maior risco de se perderem. Desflorestação e alterações climáticas são apontadas como as principais ameaças.

Renata Silva 19/11/2014

2015

A RETER

Biodiversidade: um fornecedor de bem-estar humano que está em risco

O ser humano é a espécie que domina o planeta atualmente. Mesmo que se veja a si próprio como uma espécie superior, a verdade é que tem mais probabilidade de se extinguir do que a maioria dos seres vivos.

3.1 INICIAR

Picture

Biodiversidade: A ameaça das espécies invasoras

Espécies invasoras de flora e fauna agravam a pobreza e ameaçam a agricultura, o reflorestamento, as reservas pesqueiras e os ecossistemas em seu avanço de um continente a outro. A palavra biodiversidade não se refere apenas a animais peludos e pássaros bonitos. Refere-se à variedade da vida sobre a Terra, que inclui ecossistemas que, por sua vez, proporcionam à humanidade serviços vitais, entre eles alimentação e limpeza da água e do ar.

Stephen Leahy 25/05/2009

2009
Movie

Os humanos serão responsáveis por sua própria extinção

A causa da extinção da humanidade? Os próprios humanos. Pelo menos é nisso que acredita o filósofo Nick Bostrom, professor em Oxford e diretor do Instituto do Futuro da Humanidade. Ele argumenta que, por termos um longo histórico de sobrevivência em relação a desastres naturais, o perigo no momento (e no futuro) para a nossa espécie é apenas antropogênico, ou seja, é gerado por nós mesmos – para Bostron, na forma de nossas novas tecnologias. Agora, em um momento de mudanças climáticas, essa ideia faz muito sentido.

Redação Galileu

2012
Picture

Crescimento da população não ameaça planeta, consumo sim

Em 1798, um economista britânico chamado Thomas Malthus formulou uma teoria populacional que previa um apocalipse de fome e guerra se a população humana não parasse de crescer. Sua ideia era que a população cresceria em progressão geométrica, enquanto nossa capacidade de produzir alimentos só cresceria em progressão aritmética. Logo, em um futuro próximo, faltaria comida para alimentar tanta gente.

Guilherme Rosa

2012
Location

CIBIO-InBIO alerta para ameaças das alterações climáticas à biodiversidade

A redução das camadas de gelo (ice sheets) e o derretimento das calotas polares, bem como os impactos desses fenómenos na biodiversidade, são consequências há muito conhecidas das alterações climáticas. Mas um estudo de uma equipa internacional que inclui investigadores do CIBIO-InBIO (Centro de Investgação em Biodiversidade e Recursos Genétcos) , publicado recentemente pela prestigiada revista Science, revela que os impactos sobre a biodiversidade serão igualmente graves noutras regiões do mundo.

Tiago Reis 05/05/2014

2014
Location

Homem acelera em mil vezes a extinção da biodiversidade

O desaparecimento das espécies no mundo é hoje mil vezes mais veloz do que se essa extinção acontecesse naturalmente, sem o impacto do homem. Há quase 20 anos, em 1995, essa taxa era cem vezes maior que o índice de extinção natural. Embora haja rápido progresso em desenvolver áreas de proteção, um estudo publicado na revista Science mostrou que esses esforços não são ecologicamente representativos e não estão melhorando a proteção da biodiversidade.

Bárbara Ferreira Santos 29/05/2014

2014
Movie

Estudo diz que actuais práticas agrícolas podem causar falta de alimentos em 2050

Os gases de efeito de estufa provenientes da produção de alimentos podem vir a aumentar mais de 80% se o consumo de carne e lacticínios continuar a subir como até agora. O alerta é feito por um estudo das universidades britânicas de Cambridge e de Aberdeen, publicado na revista Nature Climate Change, segundo o qual a produção de alimentos por si só pode atingir ou levar mesmo ao aumento dos níveis previstos para o total de emissões de gases de efeito de estufa dentro de 35 anos. A garantia de alimentos para toda a população mundial em 2050 pode também estar em causa.

Cláudia Bancaleiro 01/09/2014

2014
Movie

Consequências da devastação florestal

O derrube desenfreado das florestas é a acção antrópica que mais contribui para o chamado "Aquecimento Global".

Jorge Paiva 16/03/2016

2016
Movie

Pegada ecológica portuguesa diminui, mas continua elevada

Portugal diminuiu a sua pegada ecológica, mas necessita de 2,2 planetas Terra para manter o seu actual estilo de vida, conclui um relatório da organização internacional de conservação da natureza WWF, divulgado nesta quinta-feira.

Relatório da WWF 27/10/2016

2016

A RETER

As atividades humanas estão a destruir biodiversidade e serviços dos ecossistemas a velocidades nunca antes testemunhadas.

4.1 INICIAR

Picture

O grande desafio do mundo contemporâneo

Hoje, todos - ONU, governos e ONGs - sabem que as questões ambientais estão intimamente ligadas aos temas sociais e econômicos e que de sua ação depende o futuro. Este é o momento da convergência de objetivos, de arregaçar as mangas e agir.

Cláudio Pádua 04/2007

2007
Movie

O homem que inventou a pegada ecológica

Mathis Wackernagel, fundador da Global Footprint Network, que recebe hoje um prémio Gulbenkian, diz que o futuro não é animador. Em 2050 serão precisos dois planetas Terra para suportar as nececessidades de solo arável, água e espaço para ocupação urbana.

Ricardo Gracia 18/07/2008

2008
Picture

Mudar o desenvolvimento para salvar a biodiversidade

Uma drástica mudança no rumo do desenvolvimento económico é essencial para evitar o desaparecimento dos ecossistemas do planeta, afirma um estudo publicado na revista científica norte-americana Science. Por Stephen Leahy, IPS/Envolazul.

Stephen Leahy 28/10/2010

2010
Location

Quanto Vale um Morcego? A Importância dos Serviços Ambientais.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA descreve a economia azul como aquela que tem como resultado o bem-estar humano e a igualdade social, ao mesmo tempo em que busca reduzir significativamente os riscos ambientais e a escassez ecológica.

Tatiane Castaño 28/10/2010

2010
Location

Planeta precisa que mudemos o nosso padrão de consumo – Achim Steiner, diretor executivo do PNUMA

No Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, o diretor executivo do PNUMA, Achim Steiner, chama a atenção para o desperdício e suas consequências para o planeta. Enquanto nos sentamos para almoçar ou jantar neste Dia Mundial do Meio Ambiente, é importante considerar o seguinte: um terço de todos os alimentos produzidos no mundo a cada ano, ou cerca de 300 milhões de toneladas, é jogado no lixo. Este desperdício custa à economia mundial a quantia impressionante de um trilhão de dólares anualmente.

Achim Steiner 05/06/2015

2015

A RETER

Conhecido o problema, as causas e as consequências da perda acelerada de biodiversidade é tempo agir para garantir que o bom funcionamento dos ecossistemas continuarão a satisfazer as nossas necessidades e a necessidade das gerações futuras.

1.2 APROFUNDAR

Já deves ter ouvido falar do Lince Ibérico (Lynx pardinus) como uma espécie em vias de desaparecer. Pois bem, depois de quase uma década e meia na ribalta como o felino mais ameaçado do mundo, em 2015, na revisão da Lista Vermelha de espécies ameaçadas da IUCN , tivemos uma boa notícia: O Lince ibérico desceu um degrau no risco de extinção, deixou de ser uma espécie “criticamente em perigo” e passou a estar em “Em perigo”. No entanto, no Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal o Lince Ibérico ainda é considerado “Criticamente em Perigo”.

A reprodução em cativeiro e os programas de conservação para salvar o Lince ibérico têm sido notáveis e resultaram de investimentos de Portugal e Espanha, mas o seu habitat continua ameaçado e esta melhoria ainda não retira o lince do risco de desaparecer do planeta. Um outro exemplo de sucesso de reintrodução de uma espécie em território nacional e que também resulta da cooperação entre Portugal e Espanha, é o Projeto de reintrodução da águia pesqueira em Portugal.

 

 

A espécie Águia Pesqueira (Pandion haliaetus) deixou de se reproduzir em Portugal em 1997, com a morte acidental da fêmea reprodutora do último casal que se reproduzia na Costa Vicentina, depois do desaparecimento progressivo das populações da costa continental da Europa mediterrânica. Cinco anos mais tarde, em 2002, foi observado pela última vez o macho deste casal.

As más notícias da revisão da Lista Vermelha é que biodiversidade está em declínio. Em 2017, das cercas de 83.000 espécies avaliadas pela Lista Vermelha da IUCN, cerca de 30% estão dadas como ameaçadas de extinção incluindo 41% dos anfibios, 34% de coníferas, 33% dos recifes de coral, 25% dos mamíferos e 13% das aves.

   Lista vermelha da IUCN -Um barómetro da Vida

 

A lista vermelha da IUCN é uma ferramenta crucial para a identificação das espécies que necessitam de esforços de recuperação, bem como dos locais e dos habitats-chave que precisam ser salvos. Para ser um barómetro de Vida mais completo, precisamos aumentar o número de espécies avaliadas. É objetivo da IUCN garantir que pelo menos 160.000 espécies sejam avaliadas até 2020.

Estamos a perder espécies a um ritmo nunca “visto” na História da Terra. Calcula- se que o planeta esteja a perder espécies a uma velocidade entre 100 a 1000 vezes superior à taxa normal . As taxas futuras tenderão a aumentar se nada for feito e embora tenha havido um progresso do desenvolvimento de áreas protegidas, tais esforços não são ecologicamente suficientes para travar a perda de biodiversidade.

 

A palavra “Biodiversidade”, sinónimo de “Diversidade Biológica”, foi usada pela primeira vez em 1986, por E. O. Wilson, alegadamente por se tratar de um termo mais eficaz em termos de comunicação. Embora ainda falte muito para se tornar parte da vida das pessoas, o termos biodiversidade ganhou visibilidade num curto espaço de tempo.

 

 

A diversidade de espécies que se pensa existir (8 a 15 milhões) surgiu através de mutações genéticas e expansão para novos nichos ao longo dos últimos 3,8 mil milhões de anos, razão suficiente para ser considerada como um recurso não renovável , pois a sua perda potencial seria insubstituível e nunca poderia ser reproduzida através de tecnologias modernas.

Na generalidade, biodiversidade é entendida como o termo que define a ampla variedade de plantas, animais e microrganismos (biodiversidade específica) No entanto, a biodiversidade inclui também as diferenças genéticas dentro de cada espécie (biodiversidade genética), tais como, as variedades dentro das espécies de plantas e as diferentes raças de animais.

Outro aspeto da biodiversidade é também a variedade de ecossistemas (Biodiversidade ecossistémica), como por exemplo, os que existem nos desertos, nas florestas, nos pântanos, nas montanhas, nos lagos, nos rios e nas paisagens agrícolas. Em cada ecossistema, os seres vivos (incluindo os humanos), formam comunidades, interagem umas com as outras e com o ar, a água e o solo que as rodeia.

2.2 APROFUNDAR

O resultado de 3,8 mil milhões de anos de evolução, a biodiversidade, é essencial para a sobrevivên-cia humana. Dependemos da natureza para muitos recursos essenciais (serviços do ecossistema), incluindo alimentos, materiais de construção, fontes de calor, têxteis ou os ingredientes ativos dos medicamentos. Para além disso, a natureza fornece ainda outras funções vitais, como, por exemplo, a polinização das plantas, a filtragem do ar, da água e do solo ou ainda a proteção contra inundações. A vida na Terra como a conhecemos seria impossível sem estes materiais e serviços cruciais. Infelizmente, esquecemo-nos demasiadas vezes do que a natureza nos oferece. Nas nossas sociedades industrializadas, a biodiversidade é tomada como certa e vista como algo livre e eterno. No entanto, a verdade é que as pressões que exercemos sobre a natureza estão a aumentar e muitas atividades humanas representam uma grande ameaça para a existência de numerosas espécies

Publicação “52 Tips For Biodiversity/52 Gestos para a biodiversidade”, da European Commission

– Directorate -General for the Environment

 

   O que são os serviços dos ecossistemas?

 

São as funções dos ecossistemas úteis aos seres humanos e que incluem:

 

 

Serviços de Provisão

Bens ou produtos obtidos a partir de ecossistemas, como alimentos, água doce, madeira, fibras e recursos genéticos.

Serviços de Regulamentação

Benefícios obtidos a partir da regulação e controlo que os ecossistemas exercem sobre os processos naturais, como o clima, doenças, erosão, fluxos de água, polinização, bem como a proteção contra riscos naturais.

Serviços Culturais e de Recreio

Benefícios não materiais obtidos a partir de ecossistemas, como atividades recreativas, os espirituais e estéticos

Serviços de Suporte

Processos naturais, tais como o ciclo dos nutrientes e a produção primária, que mantêm os outros serviços.

 

 

 

O ecossistema é fonte de matéria-prima, energia e de processos biológicos necessários à atividade económica, através dos serviços que o ecossistema nos fornece, mas também funciona como “depósito” dos resíduos da atividade produtiva e de consumo.

A extinção de espécies, dos seus habitats e a destruição de ecossistemas são uma tragédia ecológica com implicações profundas para desenvolvimento económico e social por causa dos produtos e serviços que deixam de nos ser fornecidos.

A perda da diversidade biológica reduz, por exemplo, a possibilidade de novas descobertas médicas, de desenvolvimento económico e de respostas adaptativas a desafios como as alterações climáticas.

Serviços dos quais a comunidade beneficia diretamente como fonte de rendimento

 

A Produção

1.    Azeitonas que são utilizadas em conserva ou para fazer o delicioso azeite, o “ouro transmontano”

2.    Uvas para fazer o vinho, por exemplo, na Região Demarcada do Douro

3.    Amêndoas

4.    Maçãs

5.    Cogumelos

6.    Cabritos

7.    Queijos

8.    Mel

9.    Água pura que corre nos riachos e que abastece as torneiras de tua casa

10.    Peixe do Rio

 

Regulação

Os Morcegos regulam pragas de insetos: 

Se calhar, és das pessoas têm algum tipo de repulsa por morcegos, um medo alimentado por serem criaturas noturnas e estranhas. Já pesaste que esses animais te prestam, a ti e à tua comunidade, um valiosíssimo serviço ambiental. Sabias que a dieta desses animais é constituída por insetos e desta forma controla-os, evita que se tornem pragas e destruam as culturas que são o sustento da tua família e comunidade.

Os abutres são “polícias sanitários”: 

Sabias que os abutres ao alimentarem-se de animais mortos, em decomposição, fazem um tipo de controlo sanitários de animais doentes.

Abelhas polinizam as culturas agrícolas: 

Sabias que na região de Trás- os-Montes são conhecidas mais de 200 espécies de abelhas responsáveis pela polinização das culturas.

 

 

Culturais

Trás-os-Montes um destino turístico de sensações: 

Olha e repara no poder das belíssimas paisagens, da vida selvagem, dos sabores, dos cheiros como responsáveis pelas sensações que levam a que as pessoas procurem a tua terra para momentos de lazer e turismo

3.2 APROFUNDAR

O planeta está a ser vítima de agressões constantes e a maior parte delas tem mão humana.

A população mundial ainda estará a crescer em 2050, mas mais lentamente do que no passado. Hoje somos mais de 7 mil milhões e em 2050 seremos 9 mil milhões e este aumento de população coloca o planeta sob pressão.

Mais que o excesso de população, por sermos demasiados para as capacidades do planeta, os estilos de vida estão a ser considerados a principal causa da crise planetária, fundamentalmente no que respeita

aos padrões de consumo das economias mais desenvolvidas, que estão a exigir mais recursos do que aqueles que o planeta pode fornecer e a produzir resíduos e emissões acima dos níveis capazes de serem absorvidos pela natureza.

A pegada ecológica e a biocapacidade são dois importantes indicadores de avaliação ambiental e qualidade de vida que nos ajuda a perceber o desequilíbrio/ equilíbrio resultante da ação humana.

A pegada ecológica mede a quantidade de terra produtiva e de água (representa uma medida de área de ecossistemas terrestres e aquáticos) que um indivíduo ou uma nação necessita para produzir todos os recursos que consome e para absorver os resíduos que produz.

O cálculo da Pegada Ecológica compara a quantidade de procura que o consumo humano coloca na biosfera (Pegada Ecológica) com a área terra produtiva disponível para atender a essa procura (biocapacidade). Tanto a pegada como a biocapacidade são medidas em hectares globais. A contabilidade da pegada ecológica expõe os riscos exclusivos e as oportunidades que as restrições de recursos naturais representam para cada nação.

Evolução da relação pegada ecológica e a biocapacidade de Portugal

Desde 1961

A progressão do ser humano está a ocorrer em função da regressão do meio ambiente e da redução da biodiversidade. Tudo isto significa que a população está a viver no vermelho e a provocar um déficit ambiental que cresce a cada ano. Hoje a sabe-se que em 2012 a humanidade já estava a consumir o equivalente a 1,6 planetas para proporcionar os recursos que usava e absorver os resíduos e as emissões que produzia, e se as atuais tendências demográficas e os padrões de consumo continuarem, por volta de 2030, precisaremos do equivalente a 2 Terras.

Em 2016, com dados de 2012, Portugalcom uma população de 10.604.000 habitantes: 

1

A procura que o consumo dos portugueses exerce sobre os ecossistemas - Pegada Ecológica per capita - é igual 3,9 hectares globais por pessoa, o equivalente a 2,2 planetas se toda a população mundial tivesse um estilo de vida igual ao dos portugueses.

2

A área de terra disponível por habitante português para atender ao seu consumo – Biocapacidade per capita- é igual é 1,5 hectares globais

3

Significa que temos um saldo negativo, ou défice de biocapacidade, igual a -2,4 hectares globais per capita. 

4

A nossa pegada ecológica excede em 160% a nossa biocapacidade."

Portugal tem vindo a registar um declínio constante da sua Pegada Ecológica per capita desde meados da década de 2000, no entanto ainda temos muito a fazer para conseguir baixar o nosso impacte ecológico e alcançar um crédito de biocapacidade por habitante.

Estilos de vida insustentáveis da humanidade

Ameaças para a biodiversidade à escala global

Alteração ao uso do solo

A exploração excessiva dos recursos

Poluição

Alterações Climáticas

Em Portugal, e com maior expressão em regiões do interior como Trás-os-Montes:

Há ameaças específicas como o crescente abandono agrícola e a transição de agricultura para floresta que criam condições para o desenvolvimento de ciclos de fogos frequentes e severos que conduzem à erosão dos solos, redução da produtividade e disponibilidade de água superficial

4.2 APROFUNDAR

Como é que queremos que seja o amanhã? O tempo está a esgotar-se mas a humanidade possui o conhecimento e começa a ganhar também a consciência para o problema. Sabemos que temos que agir agora e também sabemos por onde começar.

A Pegada Ecológica que mede a quantidade de recursos naturais para manter o padrão de consumo dos seres humanos está altamente correlacionada com a desenvolvimento humano.

Quer isto dizer que os modelos de desenvolvimento adotados têm promovido o desenvolvimento à custa da degradação ambiental e em prejuízo da biocapacidade do planeta. Os países com alto Índice de Desenvolvimento Humano IDH possuem uma elevada pegada ecológica e os países com baixo desenvolvimento possuem pegada ecológica baixa. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) compara os países quanto ao grau de desenvolvimento económico e de qualidade de vida oferecida à população. Mede as realizações médias de um país em três aspetos básicos do desenvolvimento: saúde, educação e padrão de vida e indica que um IDH superior a 0,8 é considerado "alto desenvolvimento humano".

O que podemos fazer para acomodar 9.000 M de pessoas em 2050?

Evitar o colapso ambiental passa por reduzir a pegada ecológica e aumentar a biocapacidade dos ecossistemas. Como? Promovendo a conservação da natureza e tornando os padrões de consumo das pessoas os crescimentos económicos mais sustentáveis. A resposta está no Desenvolvimento Sustentável, onde a ação humana é regida pelo equilíbrio dos três pilares da sustentabilidade: económico, social e ambiental.

O Desenvolvimento Sustentável é um desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades

Relatório Brundtland, 1987

No limite a sustentabilidade é uma estratégia de sobrevivência da humanidade. O grande desafio é garantir que os países – desenvolvidos e em desenvolvimento – alcancem IDH's superiores a 0.8, a partir do qual é considerado "alto desenvolvimento humano", com uma pegada ecológica compatível com a biocapacidade dos ecossistemas impactados.

Só desta forma conseguiremos assegurar dignidade humana aos 9 mil milhões que seremos em 2050.

ONU abre caminho a políticas de Sustentabilidade

  • A Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento - ECO-92, RIO-92 ou Cimeira da Terra, realizada em 1992, no Rio de Janeiro, foi um marco histórico que deu visibilidade ao desenvolvimento sustentável e de onde resultaram importantes tratados internacionais como:

Convenção Sobre Diversidade Biológica

(CDB)

Objetivo de conservar da diversidade biológica (ou biodiversidade), o seu uso sustentável e a distribuição justa e equitativa dos benefícios advindos do uso económico dos recursos genéticos

Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas

(UNFCCC)

Objetivo de estabilizar as concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera em um nível que impeça uma interferência antrópica perigosa no sistema climático

Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação

(UNCCD)

Objetivo de combater a desertificação nos países que experimentam secas severas e/ou desertificação. Esta Convenção assume particular relevância para Portugal dada situação de desertificação observada na região do Norte Mediterrânico.

  • A Assembleia Geral das Nações Unidas declarou 2010 como o Ano Internacional da Biodiversidade, como forma de ajudar a promover a consciência da importância da biodiversidade em todo o mundo e declara 2011- 2020Década da Biodiversidade com o objetivo de promover a implementação de um Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020 e as metas de Aichi e a visão da ONU: Viver em harmonia com a natureza.   
  • A Cimeira da ONU, em 2015, em Nova Iorque (EUA), estabeleceu os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) . Trata-se da nova agenda de ação até 2030, que se baseia nos progressos e lições aprendidas com os 8 Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, entre 2000 e 2015.
  • Em 2009, ONU declara o dia 22 de Abril como o Dia Internacional da Mãe Terra que marca a responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza e a Terra e alcançar um balanço entre economia, sociedade e ambiente. Uma oportunidade para sublinhar a interdependência entre as pessoas e a imensa variedade de espécies com as quais partilhamos este planeta.
  • Em Dez de 2015, 197 países chegam a acordo sobre o combate às alterações climáticas. Resultante da Conferência das Partes (COP 21) da UNFCCC, o Acordo de Paris vincula a comunidade internacional a conter o aquecimento global entre 1,5º a 2º até 2100, em relação aos valores do período pré-industrial.Este acordo histórico , em vigor desde Dezembro de 2016, enquadra um vasto conjunto de iniciativas promovidas por governos, empresas e cidadãos, tendentes a Descarbonizar a Economia e a apostar numa Economia circular

1)

Descarbonização da economia: mais eficiência energética e mais produção a partir de fontes renováveis;

2)

Economia circular: mais eficiência na gestão de recursos.

A economia tem funcionado essencialmente baseada num modelo linear de recolha, produção e eliminação, onde os produtos alcançam inevitavelmente o seu "fim de vida útil". A transição de uma economia linear para uma economia circular redireciona o foco para a reutilização, reparação, renovação e reciclagem dos materiais e produtos existentes. O que era visto como "resíduo" passa a ser encarado como um "recurso". A melhor forma de se entender o conceito de economia circular é olhar para os sistemas naturais vivos e perceber que num ecossistema, como unidade funcional da biosfera, tudo funciona perfeitamente, porque seus componentes encaixam-se num todo. "Na natureza nada se cria, nada de perde, tudo se transforma", como constatou o célebre químico francês do sec. XVIII Antoine Lavoisier. 

3) Conservação dos ecossistemas: recuperar habitats e estabelecer conectividades.

3)

Conservação dos ecossistemas:: manter e recuperar habitats e restabelecer a conectividades dos mesmos

A crescente velocidade de alteração da paisagem, que tem resultado na fragmentação e perda de habitat, influencia a sobrevivência e a dinâmica das populações naturais. Restaurar habitats e restabelecer a conetividade ecológica são prioridades da conservação da natureza apostando em infraestruturas verdes no planeamento urbano e em infraestruturas naturais que aproveitam o poder do funcionamento dos ecossistemas naturais existentes ou criar e que reforçam o capital natural.

As Infraestruturas verdes podem ser definidas genericamente como uma rede de áreas naturais e semi-naturais saudáveis e estrategicamente geridas,que servem os interesses das pessoas, fornecendo uma ampla gama de serviços de ecossistemas, e protegem a biodiversidade em ambientes rurais e urbanos.

As Infrastruturas Naturais são soluções para resolução de problemas que aproveitam o poder dos ecossistemas naturais existentes ou criar ou reforçar o capital naturalSão soluções que geram vantagens para a resolução do problema e simultaneamente geram co-benefícios sociais e ambientais

E tu o que podes fazer para construir um mundo sustentável?

Usar o carro com menos frequência: Recorrer mais aos transportes públicos e pedalar ou andar mais a pé;

Apagar as luzes e desligar os aparelhos da corrente quando não estiverem a ser usados;

Recorrer a eletrodomésticos ecoeficientes

Diminuir o consumo de água e evitar que esta aqueça a temperaturas desnecessárias;

Comer menos carne (instituir um dia vegetariano por semana) e preparar a comida com ingredientes naturais (evitar comidas pré confecionadas);

Saborear a biodiversidade no prato, tornando-te «locávoro» (para te tornares "locávoro", come apenas alimentos produzidos localmente e fruta e vegetais sazonais) ou compra preferencialmente produtos biológicos locais e da época (menos transporte e consumo de energia);

Escolher produtos alimentares com menos embalagem (plástico, papelão, papel) ou então tentar comprar produtos sem embalagem;

Reduzir, reutilizar, reciclar e criar adubo para as próprias plantas (compostagem);

Usar o telemóvel ou o portátil durante o máximo de tempo possível de vida do equipamento;

Não introduzir Espécies Exóticas na natureza.

1.3 CONSOLIDAR

.1

Da lista abaixo, ESCOLHE os termos para PREEENCHER os espaços em branco de modo a completar a seguinte expressão:

A Biodiversidade ou

()

é mais que todas as formas de vida que habitam o planeta. A biodiversidade para além de abranger 

a ampla variedade de seres vivos

()

, também representa as diferenças ao nível dos genes dentro cada espécie

()

e a diversidade de ecossistemas 

()

que formam a

()

Diversidade Genética

Diversidade Ecossistémica 

Diversidade Específica

Biosfera

Diversidade Biológica

RESPOSTA CORRETA

Conseguiu o preenchimento correto! Parabéns 

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto a Terra no modulo O QUE É A BIODIVERSIDADE.

RESPOSTA INCORRETA

Não Conseguiu o preenchimento correto.

A resposta correta seria: "A Biodiversidade ou 

e)

Diversidade Biológica

é mais que todas as formas de vida que habitam o

planeta. A biodiversidade para além de abranger a ampla variedade de seres vivos

c)

Diversidade Específica

também representa 

as diferenças ao nível dos genes dentro cada espécie 

a)

Diversidade Genétca

e a diversidade de ecossistemas

b)

Diversidade Ecossistémica

que formam a

d)

Biosfera.

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto a Terra no modulo O QUE É A BIODIVERSIDADE.

.2

Relativamente à questão que se segue responda SIM ou NÃO.

Por todo o mundo existem hotspots de biodiversidade (regiões que simultaneamente são reservas de biodiversidade e que se encontram ameaçados de destruição). Portugal encontra-se nalgum desses hotspots? 

SIM

NÃO

RESPOSTA CORRETA

Conseguiu o preenchimento correto! Parabéns 

Portugal ao ser abrangido por 3 Regiões Biogeográficas – Atlântica e Mediterrânica, no continente, e Macaronésia, nos arquipélagos da Madeira e dos Açores – torna-se especialmente rico em diversidade biológica com interesse de conservação ecológica.

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto a Terra no modulo ONDE HÁ BIODIVERSIDADE?

RESPOSTA INCORRETA

A tua escolha está incorreta.

A resposta correta seria a opção 

SIM

Portugal ao ser abrangido por 3 Regiões Biogeográficas – 

Atlântica e Mediterrânica, no continente, e Macaronésia

, nos arquipélagos da 

Madeira e dos Açores – torna-se especialmente rico em diversidade biológica com interesse de conservação ecológica

A Bacia do Mediterrâneo

, é um dos atuais identifica 36 hotspots de biodiversidade em todo o globo identificados pela organização 

Conservation International.

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra

ONDE HÁ BIODIVERSIDADE?

.2

 .1

ESCOLHE a opção que completa corretamente a expressão abaixo

Qual o nome do hotspot biodiversidade que inclui Portugal?

a) Bacia do Tejo

b) Bacia do Mediterrâneo

c) Bacia do Douro

d) Bacia da Península Ibérica

RESPOSTA CORRETA

A tua escolha está correta! Parabéns

A Bacia do Mediterrâneo é um dos atuais identifica 36 hotspots de biodiversidade em todo o globo identificados pela organização 

Conservation International

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra

ONDE HÁ BIODIVERSIDADE?

RESPOSTA INCORRETA

A tua escolha está incorreta.

Portugal ao ser abrangido por 3 Regiões Biogeográficas – 

Atlântica e Mediterrânica, no continente, e Macaronésia

, nos arquipélagos da 

Madeira e dos Açores – torna-se especialmente rico em diversidade biológica com interesse de conservação ecológica.

A Bacia do Mediterrâneo

, é um dos atuais identifica 36 hotspots de biodiversidade em todo o globo identificados pela organização 

Conservation International.

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra

ONDE HÁ BIODIVERSIDADE?

SÍNTESE

O processo de extinção de espécies está a atingir velocidades nunca testemunhadas nos últimos 66 milhões de anos.

A continuarem a desaparecer espécies nesse ritmo, será o começo da 6ª extinção enfrentada pela Terra e a 1ª extinção enfrentada pelo 

Homem, onde se verá privado de muitos benefícios trazidos pela biodiversidade que garantem o seu bem-estar.

É preciso agir rápido! A janela de oportunidade está a fechar-se rapidamente, mas é ainda possível evitar

2.3 CONSOLIDAR

.1

ESCOLHE a opção que completa corretamente a expressão abaixo

Segundo o

Millennium Ecosystem Assessment

(MEA), os serviços do ecossistema classificam-se em serviços de...

a) Produção, de Regulação, Culturais e de Bem-Estar

b) Produção, de Regulação, de Suporte e de Saúde

c) Produção, de Regulação, Culturais e de Suporte.

d) Regulação, Culturais, de Suporte e de Bem-Estar

e) Regulação, Culturais, de Suporte e de Saúde

SUBMETER

RESPOSTA CORRETA

A tua escolha está correta! Parabéns

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra no módulo

PARA QUE SERVE TANTA DIVERSIDADE BIOLÓGICA.

RESPOSTA INCORRETA

A tua escolha está incorreta.

A resposta correta é a opção 

c)

Produção, de Regulação, Culturais e de Suporte.

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra no módulo

PARA QUE SERVE TANTA DIVERSIDADE BIOLÓGICA.

.2

Faz a CORRESPONDÊNCIA correta entre os elementos da coluna 1 e os da coluna 2

COLUNA 1

SERVIÇOS

COLUNA 2

DESCRIÇÃO

RESPOSTA CORRETA

Parabéns! Conseguiste a combinação correta!

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto a Terra no modulo PARA QUE SERVE TANTA DIVERSIDADE BIOLÓGICA?

RESPOSTA INCORRETA

A tua resposta está incorreta.

A correspondência correta é: 1 c), 2 d), 3 a) e 4 b)

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto a Terra no modulo PARA QUE SERVE TANTA DIVERSIDADE BIOLÓGICA?

SÍNTESE

Biodiversidade: Um fornecedor de bem-estar humano

A extinção de espécies, dos seus habitats e a destruição de ecossistemas são uma tragédia ecológica com implicações profundas para desenvolvimento económico e social por causa dos produtos e serviços que deixam de nos ser fornecidos.

A diversidade de espécies é essencial para garantir que os ecossistemas funcionarem e o Homem, também parte do ecossistema, depende do seu funcionamento para sobreviver. Apesar de sermos a espécie dominante somos influenciados por todos os ecossistemas ao nosso redor.

3.3 CONSOLIDAR

.1

ESCOLHE a opção que completa corretamente a expressão abaixo

O crescimento da população humana associado a padrões de consumo insustentáveis dos países mais desenvolvidos está a colocar uma enorme pressão sobre o planeta com taxas de extinção de espécies muito preocupantes. 

Das seguintes opções escolhe a que identifica as 5 principais causas promotoras de perda de biodiversidade a nível global:

a)

A alteração ao uso do solo; a agricultura extensiva, a exploração excessiva dos recursos; a poluição; a difusão de espécies exóticas e invasoras.

b)

A alteração ao uso do solo; a exploração excessiva dos recursos; a poluição; a difusão de espécies exóticas e invasoras e as alterações climáticas.

c)

A alteração ao uso do solo; a exploração excessiva dos recursos; a poluição; a difusão de espécies exóticas e invasoras e os fogos.

d)

A alteração ao uso do solo; a exploração excessiva dos recursos; os fogos; a difusão de espécies exóticas e invasoras e as alterações climáticas.

e)

A agricultura extensiva; a exploração excessiva dos recursos; os fogos; a difusão de espécies exóticas e invasoras e as alterações climáticas.

SUBMETER

RESPOSTA CORRETA

A tua escolha está correta! Parabéns

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra no módulo

BIODIVERSIDADE SOB AMEAÇA.

RESPOSTA INCORRETA

A tua escolha está incorreta.

A resposta correta é a opção 

d) A alteração ao uso do solo; a exploração excessiva dos recursos; os fogos; a difusão de espécies exóticas e invasoras e as alterações climáticas.

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra

BIODIVERSIDADE SOB AMEAÇA.

.2

Das seguintes expressões SELECIONA as verdadeiras e as falsas:

a) A pegada ecológica global é equivalente a 1,6 planetas.

b) Portugal tem uma pegada ecológica por habitante igual à biocapacidade por habitante, isto é, não está consumir os em excesso os seus recursos.

c) A ação humana está na origem das elevadas taxa de extinção de espécies e de degradação de habitats.

d) Nos últimos 540 milhões de anos a Terra já sofreu 5o grandes extinções e o Homem já passou por uma delas, a última que ocorreu á 65 milhões de anos.

e) As alterações climáticas e as suas consequências é uma invenção de um grupo de cientistas pessimistas.

f) Com este ritmo de desaparecimento de espécies, entre 100 a 1000 vezes superior à taxa normal de extinções, coloca-nos perante a 6a extinção em massa e a primeira a que o Homem assiste?

g) Em 2030, no atual padrão de consumo precisaremos do equivalente a 2 planetas para garantir os 8 mil milhões de pessoas que seremos.

RESPOSTA CORRETA

Parabéns! A tua resposta está correta!

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra no módulo

BIODIVERSIDADE SOB AMEAÇA.

RESPOSTA INCORRETA

A tua resposta está incorreta.

As respostas Verdadeiras  

a), c), f) e g)

As respostas Falsas são  

b), d) e e)

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra no módulo

BIODIVERSIDADE SOB AMEAÇA.

SÍNTESE

A intervenção do Homem está na origem da extinção de inúmeras espécies e a degradação dos ecossistemas, levando à perda de biodiversidade dos serviços do ecossistema no planeta. Os resultados dessa redução afetam a quantidade de recursos disponíveis, o clima, a saúde e a Vida.

4.3 CONSOLIDAR

.1

Das seguintes expressões SELECIONA as verdadeiras e as falsas:

A ação antrópica, decorrente do crescimento da população e dos padrões de consumo insustentáveis, está na base do declínio da biodiversidade e que está a por em causa a continuidade e o bem-estar da humanidade.

a) Existe um descompasso entre a pegada ecológica e a biocapacidade do planeta.

b) Existe uma assimetria na relação entre o consumo e o crescimento populacional dos diferentes países: os países mais desenvolvidos têm uma pegada ecológica menor que os países menos desenvolvidos.

c) Que os ecossistemas se encontram "saudáveis" e com capacidade de nos fornecer serviços imprescindíveis para o nosso bem-estar.

d) Há uma preocupação crescente e urgente das organizações internacionais por alcançar um Desenvolvimento Sustentável, como forma de garantir que as necessidades presentes da humanidade sem comprometer a capacidade das gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades.

e) Precisamos de acordos com compromissos sérios entre os países, como por exemplo, o Acordo de Paris, alcançado em 2015, que vincula a comunidade internacional a conter o aquecimento global entre 1,5oC a 2oC até 2100, em relação aos valores relação ao período pré-industrial.

f) O grande desafio que assegure que em 2050 os 9 mil milhões de pessoas viverão com dignidade e dentro dos limites da capacidade do planeta é: fazer com que os países desenvolvidos diminuam significativamente as suas pegadas ecológicas e que os países menos desenvolvidos cresçam com pegadas ecológicas compatíveis com a biocapacidade dos seus ecossistemas.

RESPOSTA CORRETA

Parabéns! A tua resposta está correta!

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto àTerra no módulo

BIODIVERSIDADE SOB AMEAÇA

RESPOSTA INCORRETA

A tua resposta está incorreta.

As respostas Verdadeiras são as respostas 

a), d), e) e f).

As respostas Verdadeiras são as respostas 

b) e c) .

NOTA:

Para mais detalhe consulte o site Junto à Terra no módulo

BIODIVERSIDADE SOB AMEAÇA

SÍNTESE

Ainda há tempo de evitar as consequências trágicas de uma sexta extinção em massa, já que essa é causada por nós. Devemos adotar padrões de consumo ajustados à biocapacidade do planeta, diminuir as diferenças sociais e pensar em usos mais eficientes para os nossos recursos naturais. Precisamos reduzir a perda de habitat, a pesca excessiva, a caça excessiva, a poluição e outros fatores de pressão sobre o Planeta. O Acordo de Paris em conjunto com o Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020 e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, os ODS, têm o poder de transformar o nosso mundo. Somos a única espécie com capacidade de salvar as espécies em perigo e os ecossistemas degradados. Paradoxalmente, salvá-los é a única forma de nos salvar

Parabéns

Concluiste todos os módulos do E-Learning

Desafio Final

É um exercício que tem por base um mapa de conceitos o objetivo é "arrastar com o rato" os diferentes conceitos (que se encontram numa lista) e colocá-los na caixa correta do mapa conceptual, com base na informação estabelecida entre as caixas (conceitos)

Clica em baixo

Desafio Final